O potencial das mulheres na maturidade e a capacidade de se reinventar

Ultimas Noticias
Tipografia

A agradável roda de conversa foi facilitada pela economista, consultora empresarial e especialista em Equidade, Diversidade & Inclusão Dulcejane Vaz - Por Juca Varella

SELO 30 ANOS 

A tarde da última terça-feira, 16 de julho não poderia ter sido mais bem aproveitada. A AFABB-SP recebeu em nossa sede a consultora em Equidade, Diversidade e Inclusão, Dulcejane Vaz, que falou sobre os potenciais da mulher na maturidade e as maneiras de se reinventar.

 

O Café com Bolinhos e uma Roda de Conversa começou com uma apresentação dos participantes e suas perspectivas e oportunidades para uma nova história de vida. Em seguida foi apresentado um filme inspirador intitulado “Crescer nas Adversidades”, com o rabino Abraham Twerski. – CLIQUE PARA VER O VÍDEO

 

Inspirado pelo vídeo, o grupo passou a discorrer sobre a situação atual de cada um, levantando questões sobre sua vida,  carreira, sentimentos e expectativas em relação ao futuro. Em seguida, um exercício chamado Roda da Vida, analisou o grau de desenvolvimento de cada participante nos vários pilares de suas vidas: econômico, profissional, relacionamento familiar, relacionamento íntimo, saúde e outros. Para cada um desses pilares foi atribuído um valor de 0 a 10 e, a partir dos resultados, foi possível estabelecer as áreas de maior atenção e os planos de ação para equiparar os pilares com notas mais baixas àqueles mais bem desenvolvidos.

 

Em seguida cada participante foi estimulado a construir sua História de Vida e Carreira, em forma de biografia, dando atenção especial aos motivos que o levaram a seguir os caminhos escolhidos ou determinados por outras pessoas ou circunstâncias. Antes do encerramento e como estímulo à reflexão, foi apresentado ao grupo o Círculo Dourado, de Simon Sinek, que colocou três questionamentos que nos acompanham pela nossa vida: Por que existimos? Como fazemos? O que fazemos?

 

A AFABB-SP agradece a valiosa participação da consultora Dulcejane Vaz e convida aos associados para os próximos eventos. 

Leia abaixo artigo de Marcilene Maia sobre o trabalho desenvolvido e entrevistas com o atual presidente da AFABB-SP, Rubens Costa; com o futuro presidente, Francisco do Santos Filho e com o diretor Adelmo Vianna Gomes

 

....

ARTIGO

Os desafios da maturidade - Por Marcilene Maia 

AFABB SP realiza encontro para troca de experiências e reflexão sobre o potencial da maturidade 

            A maturidade é uma etapa da vida que deve ser encarada com leveza e serenidade, com a confiança de quem sabe que ainda tem muito a contribuir com a sociedade, pois, ao atingir essa fase, a bagagem representada na forma de conhecimento, vivências e experiências torna-se cada vez mais valiosa, importante e quando compartilhada, traz respostas importantes para muitos desafios atuais. Pensando neste contexto, com objetivo de propor uma reflexão, a Associação dos Aposentados do Banco do Brasil de São Paulo (AFABB/SP), realizou um encontro, na última terça-feira (16/7), na sede da associação, mediado pela economista e especialista em Equidade, Diversidade & Inclusão, Dulcejane Vaz.

            Em uma roda animada de debates que contou com a presença de bancárias e bancários aposentados, empreendedoras, donas de casa e com a participação especial do presidente Rubens Costa e dos diretores Adelmo Vianna e Francisco dos Santos da AFABB SP, do associado da ANABB Ricardo Soares de São José dos Campos e do jornalista Luiz Gonzaga Mineiro, o grupo realizou diversas dinâmicas que permitiram um rico debate sobre este ciclo especial da vida.

            A pessoa madura traz dentro de si um grande potencial que, muitas vezes, não é percebido em toda sua capacidade. Sua sabedoria é fruto da vivência ao longo dos anos de situações desafiadoras que ensinaram e moldaram sua força, refletida no olhar intenso de quem não teme viver o novo e tem consciência das histórias que ainda deseja viver pela frente. A pergunta é: Será que a grande maioria das pessoas sabe utilizar plenamente a sua valiosa bagagem? Sabe fazer uma autoanálise para descobrir como sair da zona de conforto e seguir novos caminhos?

            Em países orientais, como a China e o Japão, a maturidade é algo admirável, é vista como uma das melhores fases da vida. Uma cultura milenar de respeito aos mais experientes. Jovens se curvam diante dos mais velhos, símbolo de gratidão e reverência. Exemplos como estes são para serem seguidos. No Brasil é costume desvalorizar, subjugar e descartar valores que são fundamentais para as gerações futuras. 

            Durante o encontro, a facilitadora Dulcejane destacou a importância de debater este tema que está tão presente no cotidiano de nossa sociedade. “Foi um momento especial de reflexão sobre as oportunidades que temos hoje para uma nova jornada repleta de significados e propósito”, destacou Dulcejane Vaz.

            A iniciativa de realizar a roda de conversa está alinhada aos objetivos estratégicos da AFABB/SP de valorização da maturidade, desmistificando o pensamento equivocado de que não há mais vida útil no ciclo pós-aposentadoria. Além de mostrar que há infinitas possibilidades para viver uma vida plena, feliz e compartilhar a sabedoria adquirida ao longo dessa jornada com as novas gerações. 

 

...

 

ENTREVISTAS

 

Presidente Rubens Rodrigues Costa

 

P: A AFABB-SP é uma entidade contemporânea? Ela preserva tradições, mas tambpem ao mesmo tempo é engajada e preocupada com a atualidade? Por que trazer uma roda de conversa, um modelo ancestral, como das tribos, que compartilham ensinamentos?

R: Sim, pois a AFABB SP resgata as histórias vividas pelos colegas. Em relação à roda de conversa, acredito que a comunicação é fundamental na relação humana.

P: Qual a visão do senhor sobre Diversidade e Inclusão, por que trazer este assunto para a Associação e para os associados?

R: Por ser um assunto tão atual e polêmico, não poderíamos ficar à margem deste momento histórico. 

P: Qual o legado o senhor deixa para o próximo presidente da entidade?

R: Nossa AFABB SP, por ser a maior do País, tem um corpo social com integrantes da Capital e do Interior do Estado. Então, nossa responsabilidade passa ser maior. Hoje, temos um desafio que é a preservação dos dois pilares da nossa sobrevivência: a CASSI e PREVI. Nossa atenção à essas duas entidades têm sido de fundamental importância. Além disso, temos acompanhado o andamento dos processos judiciais dos associados e familiares, para que não fiquem desassistidos em suas demandas. Também temos investidos em diversos cursos, palestras e debates em diversas áreas, tais como: saúde, filosofia, artes, etc, dando sequência a tudo isso, este será nosso legado.

P: Sobre os seis pilares acreditar, ouvir, ganhar, pensar, tentar e viver, como internalizar isso e passar para as outras pessoas para construir uma história de respeito?

R: Sobre os seis pilares:

  • O acreditar – fundamental para qualquer iniciativa;
  • Ouvir – saber ouvir é a chave de uma boa comunicação;
  • Ganhar – saber ganhar é uma sabedoria;
  • Pensar – sem isso é impossível viver;
  • Tentar – é primeiro passo para participar de tudo na vida;
  • Viver – respeitando a natureza consegue-se viver bem.

beta

 

... 

 

 

 

 

 

 

 

 

...................................................

Diretor Adelmo Vianna Gomes 

 

P: O que a agenda da Diversidade e Inclusão representa para os objetivos da Entidade?

R: Inclusão e Diversidade são pautas para todos, principalmente, em momentos de intolerância que vemos hoje. E uma entidade como a AFABB SP tem que estar à frente nestas pautas e ser agente delas, para trazermos uma maior proximidade com nossos públicos.

P: Atrair novos associados e trazer seus familiares, filhos e parentes é um dos grandes desafios da Associação hoje

R: Com certeza, devemos nos movimentar para mostrar a importância do Associativismo, de como ele é importante para nossas lutas em defesa dos interesses das nossas Entidades maiores - CASSI e PREVI - e da manutenção dos nossos direitos, não somente aqueles relativos ao funcionalismo do BB, mas também dos aposentados, pois muitos ainda são a base de sustentação das famílias.

P: Como fazer uma conexão entre a tradição de uma Associação que tem um legado, uma história com esse público tão diverso e moderno de hoje? 

R: Utilizar ao mesmo tempo o melhor da modernidade virtual com o atendimento personalizado para nossos Associados e público em geral. A comunicação mudou muito, mas temos que entender que parte do nosso público também gosta de uma conversa e atenção. Novos aposentados vêm com uma visão diferente do BB e das Entidades, por isso, temos que estar atentos aos novos tempos unindo a velocidade tecnológica à interação pessoal.

P: Estar na diretoria de Assuntos Especiais da AFABB SP é um grande desafio? Como lidar com os pontos positivos do passado, pontos relevantes no presente, sem perder de vista a visão de futuro e a razão de existência da Entidade? 

R:Temos que ter em mente a constante mudança deste novo mundo, ao mesmo tempo, tecnológico e virtual, mas carente de acessos. Estamos na busca da evolução sem nos desconectarmos da história que nos trouxe até aqui. O futuro está em construção e estamos nesta constante construção.

 adelmo

 

 

 

 ............................................................................................................

 

Futuro presidente da AFABB-SP Dr. Francisco dos Santos Filho 

 

P: A partir de setembro deste ano, o senhor será o novo presidente da AFABB-SP, quais serão seus grandes desafios?

R: Primeiramente, encarar os obstáculos de fatores negativos, convertendo-os de forma positiva e construtiva, a fim de solucionar problemas e aprender com as dificuldades. Um dos desafios é o da comunicação, os maiores no ambiente associativo, precisamos saber expressar nossas ideias e nos fazer compreender tanto pelos colegas de trabalho, quanto pelos associados e seus familiares.

P: O que os associados podem esperar de sua gestão?

R: Implantar a informatização dos serviços beneficiando os associados, facilitando a captação de novos membros e suas informações jurídicas, etc.

Fortalecer o relacionamento entre os associados (networking), buscando novos negócios e atividades entre os associados.

Mostrar e captar resultados financeiros aos associados.

Ampliar os benefícios oferecidos pela associação: passeios em São Paulo com associados do interior e vice-versa, apoio assistencial aos associados e seus familiares quando necessitar de tratamento médico em SP.

P: Quais metas e objetivos você propõe para fortalecer a entidade AFABB e sua representação no país?

R: Manter e expandir o quadro associativo, trazer para os associados novidades para que possam interessar em se associar. Criar novas representações em outros Municípios. Bem como à capacitação de novos associados que possam ser multiplicadores de informações dentro de outras entidades. (CASSI, ANABB, PREVI, etc.).

P: O público feminino representa cerca de 42% do funcionalismo do Banco do Brasil. Considerando esse percentual, como atrair e aumentar a participação feminina na AFABB SP?

R: Precisamos construir o marketing de empoderamento das mulheres. 

P: O sentimento de pertencimento é um dos pilares que toda Entidade precisa trabalhar junto ao seu público. Como você planeja trabalhar com as novas gerações para que possam fazer parte da família AFABB SP e se integrar ao grupo de associados composto em sua maioria pela geração baby-boomer e geração X?

R: Com a entrada dos novos associados de outras gerações serão representados juntos à diretoria, com cargos específicos facilitando e gerenciando os conflitos.

Nesta nova gestão não estou sozinho, por isso acredito em ouvir o grupo e fazer o trabalho em conjunto.

“Na vida dos indivíduos e da sociedade, a linguagem é fator de importância maior de qualquer outro.” (Ferdinand de Saussure - Filósofo Suíço).

 chicaão

 

 

...

Veja a galeria de fotos e a apresentação completa

.................................