A MILIONÁRIA, de Bernard Shaw, ganha montagem brasileira com ingressos gratuitos

Cultura e Lazer
Tipografia

Com direção de Thiago Ledier, o espetáculo traz temas muito atuais como a concentração de renda e direitos dos trabalhadores

Com direção de Thiago Ledier, o elenco ainda conta com mais oito nomes: Chris Couto, Cy Teixeira, Priscilla Olyva, Alexandre Meirelles, Caetano O’Maihlan, Guilherme Gorski, Luti Angelelli e Thiago Carreira.

Escrito em meados dos anos 1930, o texto de Shaw traz temas muito atuais como a concentração de renda e direitos dos trabalhadores, expondo como vivem os poucos milionários que concentram boa parte da renda mundial.

A MILIONÁRIA começa com Epifânia, uma das mulheres mais ricas da Europa, reunindo-se com seu advogado para discutir a possibilidade de seu provável suicídio. Pretende deixar, como forma de punição por infidelidade, toda a sua fortuna para seu marido. Seu casamento fora resultado de um desafio. Seu finado pai, por quem Epifânia tem fixação assumidamente edipiana, impôs uma condição: para se casar com ela o marido deveria receber uma quantia inicial razoável e, em seis meses, transformá-la em uma fortuna.

O marido, boxeador e esportista, vence o desafio através de manobras financeiras e - ironia suprema - pela produção de uma peça teatral. Apesar disto, Epifânia desinteressa-se por ele. Após jogar escada abaixo um amigo que ofendera a memória de seu pai, encontra um médico muçulmano, filho de uma lavadeira, por quem se apaixona. Para sua surpresa, ao propor casamento ao médico, é informada que sua humilde mãe, uma lavadeira, também impôs um desafio como condição à mulher que desejasse desposá-lo: a pretendente deveria receber uma quantia miserável e sobreviver, unicamente através do seu trabalho, durante seis meses. Só assim seria merecedora da mão do filho. Ao aceitar o desafio, Epifânia começa um movimento irresistível, desvendando o modo de agir e pensar de sua classe social, poucas vezes retratada em cena.

CULT MILI

Temporada Teatro Municipal da Vila Mariana João Caetano:

De 31 de agosto a 23 de setembro, sextas e sábados, às 21 horas, e domingos, às 19 horas.

Capacidade do teatro: 438 lugares.

Endereço: Rua Borges Lagoa, 650 - Vila Clementino.

Telefone: 11 5573-3774.

Recomendação etária: 14 anos.

Duração: 100 minutos.

Ingressos: Gratuitos (distribuição uma hora antes de cada sessão).

Após as sessões, haverá um debate com elenco.

...........