NOTA DE REPÚDIO

Ultimas Noticias
Tipografia

PREVI – URGENTE 

 OPERAÇÃO GREENFIELD

Levantando bandeiras legítimas, tais como a correta administração dos recursos dos fundos de pensão, um partido político, utilizando um emaranhado de suspeitas, ao invés de recorrer às instituições legitimamente constituídas para o fim de fiscalizar e supervisionar as entidades de  previdência, fez representação ao Ministério Público Federal no ano de 2014 que, em resposta, determinou a operação especial mencionada acima, a qual, entre outras  providências, resultou, nesta manhã de 05.09.2016, na busca e apreensão de elementos documentais, prisão de pessoas e sequestro judicial de inúmeros imóveis, valores financeiros e outros pertencentes a diversos (pessoas físicas e/ou jurídicas).

Do noticiário, consta que:

“A partir da denúncia, o procurador da República no Distrito Federal Anselmo Henrique Cordeiro Lopes abriu em novembro de 2014 o primeiro inquérito civil focado na Funcef. Em relação ao Postalis, ele declinou sua competência à Procuradoria do Paraná, pois havia menção a fatos ligados à Operação Lava Jato. No tocante à PREVI, o procurador concluiu que naquele momento não havia maiores informações e pediu ARQUIVAMENTO.” (friso nosso). Fonte: site Brasil 247.

Entretanto, hoje, o patrimônio da PREVI é alvo de um estranho zelo, que, além de tardio, é descabido.

Somos levados a supor que existe evidente indisposição em reconhecer a correção, a objetividade e a sanidade de propósitos na administração do patrimônio da PREVI, mesmo após o reconhecimento de sua exemplar governança pela CPI dos Fundos de Pensão.

Prezado associado, estejamos atentos!

Os sinais não podem ser ignorados. O patrimônio da PREVI é o alvo!

Alertamos que tais medidas rumorosas podem ser uma preparação do terreno para a aprovação da famigerada PLP-268/2016, que excluiria os participantes da administração da PREVI, juntamente com o patrocinador.

A Diretoria

Enquete
O que você achou do visual do nosso novo site?